Gestão do tempo para engenheiros: entenda a importância
4 minutos de leitura
11 de setembro de 2017

Gestão do Tempo para Engenheiros: por que se preocupar?

O dia-a-dia de engenheiros civis é puxado. São muitos detalhes que exigem a atenção do profissional. Além de garantir que a obra seja executada da maneira correta, ele precisa gerenciar a equipe, observar se tudo está sendo feito dentro do prazo e do custo… Sem falar que quase nunca, este profissional cuida apenas de uma obra por vez.

Pensando nisso, resolvemos produzir alguns artigos sobre ferramentas que podem facilitar o dia-a-dia dos engenheiros e para isso, vamos contar com a ajuda do professor do IPOG e Engenheiro Civil, Gilberto Porto. O primeiro tema será Gestão do Tempo, voltada para a organização pessoal.

Por que falar sobre Gestão do Tempo para Engenheiros?

Antes de responder a essa pergunta é importante sempre pensar no sentido do que fazemos. Neste caso, por que se constrói? A resposta óbvia é: para atender alguém. Logo, o grande objetivo ao construir um apartamento, uma sala comercial ou qualquer outra coisa é atender alguém interessado nesta obra pronta.

Portanto, ao falar sobre tantas questões óbvias, o que é preciso deixar claro é que o foco deve estar na construção, ou seja na produção, na execução. E a grande questão é não perder este foco.

O problema é que, em algumas etapas da obra, o engenheiro passa a receber tantas responsabilidades que se descobre perdido no meio delas. Em alguns casos, o excesso de tarefas chega a imobilizá-lo.

O professor Gilberto Porto cita que as empresas começam a criar vários processos, sem nenhuma organização e vão “colocando” todas essas tarefas sobre o engenheiro responsável pela obra. “Eu chamo isso de ‘roupa de Post-it’. Eu costumo dizer que são tantos post-its (responsabilidades) colocados sobre o engenheiro que se ele balançar, tudo balança e pode cair. Isso acaba travando o profissional”, explica.

É aí que vem o dilema: como manter o foco diante de tantas obrigações? É nesse contexto que a Gestão do Tempo voltada para a organização pessoal se torna fundamental.

A visão sobre o Engenheiro mudou

Hoje em dia, tem mudado muito a visão do engenheiro como “tocador de obras”. Cada vez mais profissionais da área têm entendido a importância de trazer o viés da gestão para a profissão.

E como gestor é preciso sair do campo da execução e partir para o estratégico. Daí a importância de conhecer melhor algumas ferramentas que otimizem a produção (a obra). “Não importa se quem está na ponta de produção é o gerente de obras, o gestor de obras… Não importa que nome se dá ao cargo, ele é um gestor de produção”, destaca Gilberto Porto.

E como gestor, o objetivo deve ser desenvolver uma gestão para produzir. E o se o engenheiro conseguir colocar em prática mecanismos de organização pessoal sobre seu tempo e suas atividades, por exemplo, ele terá condições de coordenar os esforços (equipe e recursos) para que a obra seja executada.

Cenário atual das empresas

EXTREMO 1 EXTREMO 2
Visão antiga do Engenheiro como tocador de obras.  Preocupa só com a execução e não avança. Talvez em reação a essa visão ultrapassada, as construtoras criam vários processos que provocam, na verdade, o travamento dessa ação.

O que fazer?

O professor do IPOG, Gilberto Porto, chama atenção para a importância de se buscar o equilíbrio neste cenário.

“A empresa tem que focar na produção e dar condições para que essa produção aconteça. Este é o primeiro aspecto”.

Por outro lado, o engenheiro precisa focar em ter uma roupagem de gestão para poder atender, pois não basta terminar uma obra. É preciso que ela fique pronta dentro de um custo, de um prazo determinado, dentro de um processo de conformidade do produto e com o meu cliente satisfeito.

O que nada mais é do que fazer o Controle dos 4 Pilares que fazem o profissional se diferenciar na Engenharia, sobre os quais já falamos em outro artigo.

O que o engenheiro pode fazer por ele mesmo?

Começam aqui as dicas sobre Gestão do Tempo. Neste primeiro texto vamos abordar essa ferramenta para sua organização pessoal. A intenção é que o profissional primeiro tenha foco e domínio sobre suas próprias atividades para que em seguida, esteja apto a coordenar a equipe de uma maneira mais produtiva.

Então, atenção às dicas:

1) Divida seu tempo entre o que é urgente e o que é importante.

Pode até parecer que urgente e importante são a mesma coisa, mas não são. As 4 Disciplinas da Execução podem lhe ajudar muito a entender isso melhor.

  • Tarefas importantes podem ser realizadas em um prazo maior, desde que seja respeitado um planejamento. Portanto, não precisam de sua atenção imediata.
  • Tarefas urgentes exigem atenção imediata devido ao curto prazo para sua finalização. Portanto, devem ser priorizadas.

VANTAGEM: Saber diferenciar estes dois tipos de tarefa diminui o estresse e aumenta a produtividade.

2) Eleja horários nobres

Gilberto Porto explica que os horários nobres serão dedicados ao que o engenheiro não pode abrir mão. Como por exemplo, a visita de inspeção na obra.

Veja algumas dicas de horários nobres para engenheiros, para que o profissional consiga focar na produção.

  • 7h às 9h da manhã e 13h às 15h: Hora de “girar o campo”. Este tempo varia de acordo com o tamanho da obra. É hora de fazer a inspeção do serviço no canteiro de obras, no local em que os trabalhos estão sendo executados. Segundo o professor, normalmente existe um planejamento traçado no início da obra, mas com o decorrer do cronograma, é preciso realinhar este planejamento, o que é natural. Pois este é um processo dinâmico e o engenheiro precisa estar lá para saber o que está acontecendo.

VANTAGEM: Ao mesmo tempo em que o engenheiro faz cada inspeção, ele já consegue perceber onde será necessário fazer ajustes. Pois é na obra que ele consegue enxergar o que está faltando. Por exemplo, é lá que ele vai poder ver que o pedreiro está parado por causa da falta de argamassa. O engenheiro só sabe disso se estiver no local. E é no começo do dia ou no começo da tarde que as coisas acontecem ou não acontecem.

Depois disso, ele pode voltar tranquilo para o escritório e dar sequência nos outros processos e já focado nas outras etapas da obra (receber um fornecedor ou cliente, tirar uma dúvida com um projetista).

3) Tenha horário para responder mensagens

Deixe para responder e-mails e mensagens no WhatsApp apenas no final da manhã ou no final do dia.

VANTAGEM: Assim você não provoca interrupções ao longo do dia e se torna mais produtivo.

4) Sempre encerre o dia planejando a agenda do dia seguinte

Veja o que conseguiu cumprir das metas diárias e reorganize o dia seguinte.

VANTAGEM: Começar o dia com uma programação te ajuda a não perder tempo e a agir com foco.

Organizando melhor o seu tempo e as suas atividades, você conseguirá ser muito mais que um “tocador de obras”, mas um gestor capaz de coordenador uma equipe, executar uma obra respeitando os 4 pilares e ainda deixar o cliente satisfeito.

Se você gostou das dicas e quer saber mais sobre Gestão do Tempo, baixe este e-book sobre o tema.

E fique atento ao nosso blog, vamos continuar falando sobre ferramentas simples que facilitam seu dia-a-dia.

 

 

 


Artigos relacionados

Professor do IPOG ganha prêmio de Arquitetura Oliveira Jr, Professor do IPOG na Pós-Graduação Master em Arquitetura & Lighting,  Arquiteto e Urbanista, foi um dos vencedores do Concurso Nacional de Habitação de Interesse Social, realizado pela Companhia de Desenvolvimento da Habitação do Distrito Fede...
Alunos IPOG produzem ambientes na Casa Cor Alagoas 2017 Quem foi à Casa Cor Alagoas 2017 pode conhecer 28 ambientes, criados por 43 profissionais. Inspirados no tema nacional da CASACOR – o Foco no Essencial – os profissionais trabalharam para a produção de ambientes que apresentassem a fusão das principais tendênc...
Como se preparar para abrir seu escritório de Arquitetura? Em uma época em que o empreendedorismo está em alta, na arquitetura a realidade não tem sido diferente. Vários profissionais têm o desejo de construir uma carreira e serem reconhecidos pelo trabalho desenvolvido no seu próprio escritório de Arquitetura. Uma...

Sobre Gilberto Porto

Professor IPOG em várias Pós-Graduações de Engenharia, Engenheiro Civil, Especialista em Planejamento Estratégico Empresarial e em Gestão Empresarial de Negócios. Atua na indústria da construção e no mercado imobiliário há 30 anos. Também atua em treinamentos e formação de equipes de alto desempenho.

Comentários