Por dentro do funcionamento da Supply Chain
2 minutos de leitura
05 de janeiro de 2018

Por dentro do funcionamento da Supply Chain

O termo Supply Chain foi criado para designar a cadeia de suprimentos a qual um produto é submetido. No século passado, a produção da matéria-prima e seu beneficiamento até o produto final eram feitos – em regra geral – em um mesmo local, para posteriormente ser consumido pelo público da região.

Com a globalização e a abertura dos mercado (livre comércio), esses processos foram se aprimorando a tal ponto, que uma matéria prima é perfeitamente processada em outro continente, para retornar ao seu país de origem para ser comercializada. Com a evolução, a estratégia mudou consideravelmente. A produção e o consumo não estão mais concentrados em um mesmo local. As nações passaram a se preocupar em ampliar a escala de transporte para diminuir o custo logístico aplicado.

A organização das nações em torno de países produtores de matéria prima e insumos, e os que detêm tecnologia para seu processamento e beneficiamento, trouxe para as carreiras que lidam com a logística grandes desafios, tendo como metas a resolução dos seguintes temas:

  • Eficiência e segurança no transporte de mercadorias;
  • Melhor custo-benefício agregado;
  • Rotas inteligentes;
  • Administração de estoque;
  • Contingenciamento de tempo aplicado ao deslocamento dos produtos
  • Dentre outros

Evolução logística até chegar à Supply Chain

Com isso, a logística passou a ser uma parte crucial do processo de circulação de mercadorias e riquezas de uma nação. Essa logística simples evoluiu para a logística integrada, que passou a se preocupar com:

  • a origem da mercadoria e qual a sua destinação final;
  • os insumos que a compõe;
  • onde está o seu público-alvo consumidor;
  • a relação com os fornecedores
  • qual a rede de transportes que será envolvida para facilitar o desenrolar de todas as etapas de beneficiamento envolvidas.

Entendendo dessa forma, já dá para notar o tanto que o processo logístico foi se tornando robusto, não é mesmo? Por fim, hoje vivemos um upgrade da logística integrada, o que se configura na Supply Chain, ou seja, cadeia de suprimentos.

São muitas as recompensas de se especializar em Supply Chain. Conheça-os.

Na cadeia de suprimentos é analisada desde a extração da matéria prima até a entrega do produto final ao consumidor. Todos os processos pelos quais aquela matéria prima passará então previstos na cadeia de suprimentos, e no seu desenho logístico.

Modais brasileiros estão adaptados ao método? Confira

O grande desafio do profissional de logística da atualidade está em gerenciar, com eficiência, todas as etapas desse processo, garantindo agilidade e redução de custos de transporte que vão incidir diretamente no preço final do produto. Complexo né? Por isso, desenvolvi e coordeno o MBA Logística, Supply Chain e Transportes do IPOG.

Conheça também o MBA em Gestão de Negócios

 


Artigos relacionados

Recuperação judicial: tudo o que você precisa saber para se manter o mais longe dela Como consultor econômico estive a frente de processos de recuperação judicial extremamente bem sucedidos, como o caso da varejista de medicamentos, Santa Marta, que em menos de dois anos executou um plano tão bem elaborado que hoje concorre em pé de igualdade ...
Aprenda agora como fechar uma venda com cinco perguntas Fechar uma venda nem sempre é algo fácil para muitas pessoas que são iniciantes e até para quem já está nessa área há algum tempo. Isso ocorre porque muitas vezes o cliente fica indeciso sobre o produto, se é o momento certo para invest...
Empreendedorismo na Contabilidade: 5 dicas importantes Empreendedorismo nos fornece a possibilidade de desbravar o novo e explorar oportunidades de negócios com ampla autonomia. Independente do segmento, produtos ou serviços oferecidos, haverá sempre desafios a serem enfrentados e superados. E o empreendedorism...

Sobre Edésio Lopes

Doutor engenharia civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na área de Infraestrutura Viária, onde também obteve o seu mestrado, graduado pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). É coordenador do MBA de Infraestrutura de Transporte e rodovias do IPOG; MBA Geociências e Geotecnologias; MBA Planejamento Urbano Sustentável; MBA Executivo em Logística de Distribuição e Produção. É colaborador na IDP engenharia (empresa sediada na Espanha) em projetos voltados para infraestrutura de transportes, logística e mobilidade urbana. Atuou por 9 anos como pesquisador no LabTrans/UFSC em projetos relacionados a infraestrutura de transporte em órgão federias e estaduais. Atuou como professor no setor de Geodésia no departamento de engenharia civil da UFSC e trabalhou no Laboratório de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto em projetos de auxílio à execução de planos diretores municipais.

Comentários