Por dentro do funcionamento da Supply Chain
2 minutos de leitura
05 de janeiro de 2018

Por dentro do funcionamento da Supply Chain

O termo Supply Chain foi criado para designar a cadeia de suprimentos a qual um produto é submetido. No século passado, a produção da matéria-prima e seu beneficiamento até o produto final eram feitos – em regra geral – em um mesmo local, para posteriormente ser consumido pelo público da região.

Com a globalização e a abertura dos mercado (livre comércio), esses processos foram se aprimorando a tal ponto, que uma matéria prima é perfeitamente processada em outro continente, para retornar ao seu país de origem para ser comercializada. Com a evolução, a estratégia mudou consideravelmente. A produção e o consumo não estão mais concentrados em um mesmo local. As nações passaram a se preocupar em ampliar a escala de transporte para diminuir o custo logístico aplicado.

A organização das nações em torno de países produtores de matéria prima e insumos, e os que detêm tecnologia para seu processamento e beneficiamento, trouxe para as carreiras que lidam com a logística grandes desafios, tendo como metas a resolução dos seguintes temas:

  • Eficiência e segurança no transporte de mercadorias;
  • Melhor custo-benefício agregado;
  • Rotas inteligentes;
  • Administração de estoque;
  • Contingenciamento de tempo aplicado ao deslocamento dos produtos
  • Dentre outros

Evolução logística até chegar à Supply Chain

Com isso, a logística passou a ser uma parte crucial do processo de circulação de mercadorias e riquezas de uma nação. Essa logística simples evoluiu para a logística integrada, que passou a se preocupar com:

  • a origem da mercadoria e qual a sua destinação final;
  • os insumos que a compõe;
  • onde está o seu público-alvo consumidor;
  • a relação com os fornecedores
  • qual a rede de transportes que será envolvida para facilitar o desenrolar de todas as etapas de beneficiamento envolvidas.

Entendendo dessa forma, já dá para notar o tanto que o processo logístico foi se tornando robusto, não é mesmo? Por fim, hoje vivemos um upgrade da logística integrada, o que se configura na Supply Chain, ou seja, cadeia de suprimentos.

Na cadeia de suprimentos é analisada desde a extração da matéria prima até a entrega do produto final ao consumidor. Todos os processos pelos quais aquela matéria prima passará então previstos na cadeia de suprimentos, e no seu desenho logístico.

O grande desafio do profissional de logística da atualidade está em gerenciar, com eficiência, todas as etapas desse processo, garantindo agilidade e redução de custos de transporte que vão incidir diretamente no preço final do produto. Complexo né? Por isso, desenvolvi e coordeno o MBA Logística, Supply Chain e Transportes do IPOG.

 


Artigos relacionados

Sustentabilidade pode ser o diferencial no seu negócio. Saiba como Atualmente, parte da população tem se preocupado com o consumo consciente como uma ferramenta para ajudar na preservação do meio ambiente. Para conquistar e fidelizar este público, várias empresas buscam na sustentabilidade como um diferencial em seu negócio. ...
6 ideias imperdíveis para empreender em 2018 Diversas pesquisas apontam para um cenário de recuperação econômica em 2018. Porém, ainda será um ano que cobrará resiliência e muita perspicácia dos empreendedores, devido à redução de crédito no mercado, e de uma retomada gradual do consumo. Sendo um ano exc...
Crowdsourcing pode alavancar o seu negócio. Você sabe usar a ferramenta? Há menos de uma década o conceito de crowdsourcing vem sendo desenvolvido, com resultados altamente positivos para as empresas que adotam sua estratégia. Em tradução literal, o termo origina-se de duas palavras inglesas: crowd, que significa multidão; e source...

Sobre Edésio Lopes

Doutor engenharia civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na área de Infraestrutura Viária, onde também obteve o seu mestrado, graduado pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). É coordenador do MBA de Infraestrutura de Transporte e rodovias do IPOG; MBA Geociências e Geotecnologias; MBA Planejamento Urbano Sustentável; MBA Executivo em Logística de Distribuição e Produção. É colaborador na IDP engenharia (empresa sediada na Espanha) em projetos voltados para infraestrutura de transportes, logística e mobilidade urbana. Atuou por 9 anos como pesquisador no LabTrans/UFSC em projetos relacionados a infraestrutura de transporte em órgão federias e estaduais. Atuou como professor no setor de Geodésia no departamento de engenharia civil da UFSC e trabalhou no Laboratório de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto em projetos de auxílio à execução de planos diretores municipais.

Comentários