A especialista IPOG que transformou o clima organizacional da Mapah
3 minutos de leitura
04 de julho de 2018

Inspirando Carreiras: A especialista IPOG que transformou o clima organizacional da Mapah

clima organizacional

Trabalhar o clima organizacional de uma empresa é uma das grandes preocupações e prioridades dos departamentos de Recursos Humanos, afinal, trata-se de uma atmosfera que está diretamente ligada com a produtividade e a motivação de funcionários.

Empresas dos mais diversos segmentos que desejam apresentar crescimentos e ganhar mais espaço no mercado estão entendendo, cada vez mais, que o ambiente de trabalho influencia a performance e rendimento dos colaboradores e, por isso, devem trabalhar de forma inteligente o clima organizacional da organização.

O objetivo? Proporcionar um ambiente de trabalho mais harmonioso, com propósito e motivador. Dessa forma, o colaborador passa a desenvolver comportamentos positivos e dão à organização melhores resultados.

A transformação do clima organizacional da Mapah

Há dois anos como Coordenadora de Recursos Humanos na empresa Mapah, instituição que trabalha com a prestação de serviços de auditoria, assessoria contábil e assessoria jurídica, Darlene Araújo de Carvalho diz que seu maior desafio foi melhorar o clima organizacional da instituição.

Definida como uma empresa “formal e tradicional”, a Mapah possui em seu quadro de colaboradores maior número de contadores e advogados. A atuação de Darlene para melhorar o clima organizacional se voltou, principalmente, para a implantação de várias ações de endomarketing.

Essas ações, como explica Darlene, contribuíram para deixar o ambiente organizacional mais leve e descontraído. Seu trabalho voltou, principalmente, para:

  • Realização de festas de confraternização;
  • Eventos esportivos;
  • Gincanas de doações de agasalho e
  • Realização de games sobre ética e os valores da empresa.

Como resultados dessas dinâmicas e eventos, houve uma forte integração dos funcionários e o fortalecimento da cultura da organização. Ainda segundo Darlene, o RH monitora indicadores de Planejamento Estratégico, como a pesquisa de NPS Interno, onde foi possível, mensalmente, verificar o nível de satisfação da equipe.

Da especialização para a prática do dia a dia

Toda a sua atuação na Mapah e os resultados adquiridos com as intervenções do RH só foram possíveis devido à profissionalização de Darlene no MBA em Gestão de Pessoas por Competências e Coaching.

Ela conta que a pós foi muito importante para o seu processo de aprendizagem e qualificação, bem como para gerir e desenvolver melhor pessoas. “Algumas ferramentas e metodologias ensinadas, como o Coaching, agregaram para o meu desenvolvimento e para o meu desempenho profissional”, conta.

Darlene também destaca como um dos pontos positivos, a visão que conquistou sobre o mundo organizacional, a partir de temas como:

Para ela, os principais diferenciais dessa pós são:

  • O quadro de professores –  todos eles são referências na área em que atuam;
  • A característica prática de todos os módulos – “os alunos vivenciam na sala de aula situações do mundo corporativo, o que facilita a aprendizagem”, diz.

A pós é focada em resultados e capacita profissionais para terem um melhor desempenho do trabalho, além de ampliar o seu networking.”

Dicas para quem deseja trabalhar o clima organizacional de uma empresa

Aproveitamos a experiência e os conhecimentos de Darlene para solicitar algumas dicas que só têm a contribuir com o clima organizacional dentro de uma instituição. Segundo ela, o profissional de RH precisa:

  • Conhecer, primeiramente, os seus colaboradores;
  • Entender as suas necessidades;
  • Realizar, inicialmente, uma pesquisa de clima e um bate papo com alguns funcionários;
  • Executar ações de endomarketing que geram integração, reconhecimento e fortalecimento da cultura;
  • Oferecer um ambiente de trabalho seguro, adequado, transparente, flexível e participativo.

As dicas são importantes, mas é necessário tocar em uma questão primordial: competências e habilidades dos profissionais de RH. Não basta ter o conhecimento, a técnica, anotar as dicas se o profissional não consegue encarar problemas, desafios e trabalhar bem o clima organizacional.

Costumo dizer que a principal competência que um profissional da área de Gestão de Pessoas deve ter é a resiliência, pois precisamos lidar com conflitos e problemas diariamente”, afirma.

É um ponto importante a ser considerado, visto as situações adversas que são enfrentadas constantemente, o que requer equilíbrio emocional e elaboração de soluções estratégicas para superar os obstáculos.

O profissional de RH ainda precisa desenvolver a flexibilidade, a empatia, o espírito de equipe e a capacidade de liderança, como destaca a especialista. E então? Existem outras habilidades e competências que você acha indispensáveis para um gestor, coordenador de RH? Compartilhe com a gente nos comentários!

Conheça também a trajetória de Renata Falco, ex-aluna IPOG que inovou no mercado de Recursos Humanos. É mais um case de sucesso na área de Gestão de Pessoas para inspirar você!


Artigos relacionados

Inspirando Carreiras: perito e aluno IPOG conta como a pós-graduação contribuiu com seu desenvolvime... Buscar conhecimento por meio de uma pós-graduação tem sido o diferencial de profissionais que desejam estar mais preparados para os constantes desafios do mercado de trabalho. Uma história inspiradora é a do farmacêutico e perito criminal de Boa Vista (RR), Ed...

Sobre Darlene Araújo Carvalho

Psicóloga, graduada pela PUC-GO e Especialista em Gestão de Pessoas por Competências e Coaching pelo IPOG. Possui 10 anos de atuação generalista na área de RH, em empresas nacionais de grande porte dos segmentos de Serviços, Varejo, Indústria e Bebidas. Atualmente, atua como Coordenadora de RH no grupo Mapah, onde é responsável pela área de Gestão de Pessoas.

Comentários