Por que criar uma startup de economia criativa?
2 minutos de leitura

Por que criar uma startup de economia criativa?

IPOG, Startup, Economia, Criativo

Cinema, design, moda, arquitetura, literatura, artes cênicas e audiovisual são áreas que têm revelado inúmeras oportunidades no universo das startups, por meio da economia criativa. Além de fazer parte do nosso dia a dia, elas estão entre os setores mais promissores no mercado atualmente.

Para o autor e pesquisador inglês de Economia Criativa John Howkins, este nicho pode ser definido como uma forma de transformar criatividade em resultado e, mais que isso, de pensar as relações em comunidade. É um novo olhar sobre o empreendedorismo, que pede multidisciplinaridade por parte do empreendedor. Este tem sido um dos setores que mais emprega jovens na atualidade, e com os mais altos salários.

O diretor da Incubadora Rio Criativo, Marcos André Carvalho, que hoje auxilia no desenvolvimento de 16 startups da área, afirma que, além da criatividade e ideias inovadoras, os empreendedores que desejam ter sucesso devem se atentar aos seguintes pontos:

  1. Colocar a ideia em prática

O primeiro passo para empreender na economia criativa é mensurar quão viável será o seu produto. Em seguida, definir os possíveis clientes e as formas de produção e distribuição. O empreendedor deve pensar como irá transformar sua ideia em prática. Materializar a proposta, sem deixar de lado um plano de sustentabilidade que explique como tudo será desenvolvido.

  1. Estudar formas de financiamento

O mercado de produção criativa é baseado principalmente na captação de dinheiro por meio de editais e leis de incentivo. Porém, os recursos podem durar pouco e não permitirem que o empreendedor desenvolva planejamentos estratégicos de médio e longo prazo. Por isso, o melhor é trabalhar na linha de microcrédito também.

  1. Trocar experiências

Uma startup criativa precisa cultivar a comunicação com outras empresas, devido à quantidade de áreas que o segmento apresenta. A troca de experiências é muito enriquecedora e ajuda na hora de solucionar os problemas.

Quando se trata de economia criativa, o trabalho deve ser encarado de forma totalmente diferente do que acontece nas empresas tradicionais. O segredo é acreditar que sua ideia pode ser interessante para outras pessoas. O objetivo agora não é mais quantas horas serão trabalhadas, mas sim o quanto se produz enquanto trabalha.

 

Artigos relacionados

Como ser competitivo em tempos de crise econômica Estamos totalmente absorvidos pela crise econômica e política que é considerada uma das maiores dos últimos 50 anos. Não precisa ir longe para constatar tal verdade. Uma busca rápida no site do Banco Central mostra que durante o crash da Bolsa de Nova Iorque e...
Metodologia BIM: aplicação a projetos de infraestrutura de transportes A moderna metodologia BIM – Bulding Information Modeling – que foi inicialmente desenvolvida para ser utilizada em projetos ligados à construção civil - começa a ser adotada em obras de maior porte, como as de infraestrutura rodoviária, por exemplo. O MBA Inf...
Como o varejo pode recuperar o fôlego nos últimos três meses do ano? Em todos os setores da Economia Brasileira, 2017 tem sido um teste de sobrevivência diante da crise que se instaurou, motivada principalmente pelo período conturbado vivenciado pela política brasileira. No entanto, para quem acompanha os principais indicadores...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo IPOG. Responsável : Bruno Azambuja - Gerente de Marketing - bruno.azambuja@ipog.edu.br