Por que Juliana esperou 9 anos para cursar um MBA em Marketing Digital?
4 minutos de leitura
19 de julho de 2018

Por que Juliana esperou 9 anos para cursar um MBA em Marketing Digital?

Vale a pena fazer um MBA em Marketing Digital mesmo já atuando na área?

O questionamento, válido e pertinente, foi feito pela Juliana Silva em seu LinkedIn, após iniciar o primeiro módulo do MBA em Marketing e Inteligência Digital do IPOG, no fim de junho, em Florianópolis.

Graduada em Comunicação Social, Juliana trabalha com Marketing desde a década de 90. São 23 anos de carreira, tendo passado por veículos de comunicação, agências, produtoras, departamentos de marketing de empresas públicas e privadas.

Atualmente ela trabalha como head de Customer Success na O2Obots, empresa que atua com chatbots especializados na qualificação de leads para máquina de vendas.

Trata-se de uma startup em que Juliana pôde estudar toda a jornada do cliente e elaborar o workflow de nutrição e monitoramento das métricas necessárias para validação do on boarding e resultados dos clientes em curto, médio e longo prazo.

Ela acompanha, em tempo real, as dores dos clientes e atua em parceria com o desenvolvimento do produto, colaborando nas correções e melhorias necessárias.

A decisão pelo MBA em Marketing Digital

Aos 42 anos de idade, com um currículo extenso, muita experiência e uma carreira consolidada na área de Marketing, Juliana optou por se especializar em Marketing Digital somente agora por acreditar que este é o momento certo. E você já vai entender o porquê.

Em um dos trechos do texto publicado em sua rede pessoal, Juliana explica que a pergunta feita no início deste artigo a perseguiu por anos.

“Desde quando trabalhei na Morphy, em Blumenau, lá nos idos de 2009, eu já considerava a possibilidade de buscar uma pós que validasse alguns conhecimentos empíricos e outros já incorporados à rotina diária de uma empresa com foco em soluções digitais.” Trecho retirado de seu relato.

A decisão em se especializar em Marketing Digital veio quase uma década depois justamente devido à “imaturidade do mercado”, isto é, um campo de conhecimento e técnicas que ainda teria muito a desenvolver e aprofundar.

Já sabemos o quanto o Marketing é volátil e se transforma a cada dia, no entanto, as oportunidades de mercado, de aprendizagem e aplicação do Marketing Digital nas organizações chegou a tal ponto que, mesmo que um profissional esteja há anos trabalhando na área, ele ainda terá muito o que aprender dentro de uma sala de pós-graduação.

Uma forte realidade chamada Marketing Digital

É como Juliana define este campo no mercado da comunicação como um todo. Hoje, como ela aponta, o Marketing está muito mais aliado a vendas, proporcionando a entrega de leads como a comunicação tradicional nunca conseguiu fazer.

Ao acompanhar essa evolução do Marketing, Juliana pôde perceber que hoje é possível falar do assunto de forma mais madura, a partir da discussão de cases, avaliação de metodologias, ferramentas, processos, dentre outros.

O mercado precisou errar, acertar e aprender. Acredito que agora já temos uma boa base para replicar conteúdos”, pontua.

Do velho e bom Marketing ao novo e bom Digital

Ao analisar o mercado atual, Juliana destaca que o Marketing mudou muito e não mudou nada ao mesmo tempo. Mas como assim?

Ela explica que, mesmo com todas as transformações, o produto precisa continuar sendo bom e o ótimo atendimento ao cliente também precisa ser praticado continuadamente para render uma boa experiência.

Além de que preço nem sempre é diferencial e planejamento continua sendo essencial. Tudo isso, segundo ela, é “velha guarda”. A grande questão é que agora os meios mudaram e a comunicação se dá em via de mão dupla com o consumidor:

  • As empresas podem falar, mas também precisam saber ouvir;
  • A resposta pode vir descrita, em opiniões e comentários nas redes sociais ou através de números e gráficos;
  • A cada dia surgem novas ferramentas para acompanhar e medir os resultados dos investimentos realizados;
  • Mais do que nunca é importante entender a mudança do comportamento desse consumidor, muito mais conhecedor do que está comprando e muitos menos dependente do vendedor;
  • A linguagem precisa ser adaptada, não se fala mais com “massa”, cada cliente deve ser considerado.

Dessa forma, para Juliana, em pouco tempo não haverá viabilidade para empresas e profissionais do setor que não tiverem o mínimo de conhecimento da área.

O primeiro contato com a pós-graduação em MD

Em seu primeiro fim de semana de pós-graduação em Marketing Digital pelo IPOG, Juliana pôde acompanhar o módulo sobre inbound, ministrado pelo professor Carlos Costa.

Suas impressões são positivas: “Percebi uma equipe muito profissional e dedicada, com respeito aos horários, aos conteúdos propostos e a adequação do ritmo do professor ao mix da turma”, comenta.

Especificamente sobre esse módulo, Juliana pôde perceber um interesse em trazer um novo foco sobre o assunto, uma vez que em Florianópolis abundam palestras e seminários a respeito de inbound.

“Foi interessante ouvir o professor Carlos, também profissional de mercado, trazendo sua visão de outro Estado, com outra percepção e propondo o pensar “fora da caixa“.

Pós-graduação em Marketing: a jornada para o empreendedorismo 

Empreender está no meu DNA“. A trajetória profissional de Juliana só reforça essa afirmação, visto as vezes em que empreendeu ao abrir agências de comunicação (BGB Creatives e Aldeia Comunicação) e até mesmo no mercado de gastronomia com um foodtruck.

Com a especialização em Marketing Digital pelo IPOG, o sonho de continuar empreendendo permanece:

Não posso dizer que não empreenderei novamente após a especialização, vai depender do mercado e das oportunidades. Mas com certeza uma vontade que tenho desde já é a de poder compartilhar todo este conhecimento de alguma forma”, diz.

O MBA é uma oportunidade de colocar alguns conhecimentos à prova, reciclar e trocar informações com outros profissionais. E de quebra compartilhar com a turma algumas estratégias que funcionaram e os resultados. Além disso, o networking sempre é rico e produtivo.

Por fim, como Juliana finaliza o seu texto é como acaba este artigo.

“Então sim, vale a pena. Agora vale.”

Artigos relacionados

Formulário de Leads – o Linkedin buscando novos olhares Não é nenhuma novidade para nós que o formulário de leads do Facebook pode gerar um resultado muito positivo nas campanhas patrocinadas. A maior rede social do mundo é também uma das melhores ferramentas atuais de publicidade. Só no Brasil, mais de 99 milhões ...
Professor do IPOG relata pontos altos do RD Summit– maior evento de marketing digital da América Lat... O Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG) marcou presença na edição 2017 do RD Summit, realizado de 18 a 20 de outubro, na capital Florianópolis (SC). Considerado o maior evento de Marketing Digital da América Latina, o evento reúne em três dias grandes ...
IPOG no RD on the Road: saiba o que os palestrantes destacaram no evento sobre Marketing Digital Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo, motivar e somar às carreiras e negócios de pessoas, é que o RD on the Road pousou em Goiânia mais uma vez para dar continuidade a sua turnê 2018! O evento, realizado no Hotel Mercure, é destinado a profissionais q...

Sobre Juliana Silva

Atualmente é head de sucesso do cliente na O2Obots, mãe de um “menino” de 20 anos, inquieta, empreendedora nata, curiosa e conectada ao que acontece no mundo da comunicação e do marketing

Comentários