Por que criar uma startup de economia criativa?
2 minutos de leitura
06 de fevereiro de 2017

Por que criar uma startup de economia criativa?

IPOG, Startup, Economia, Criativo

Cinema, design, moda, arquitetura, literatura, artes cênicas e audiovisual são áreas que têm revelado inúmeras oportunidades no universo das startups, por meio da economia criativa. Além de fazer parte do nosso dia a dia, elas estão entre os setores mais promissores no mercado atualmente.

Para o autor e pesquisador inglês de Economia Criativa John Howkins, este nicho pode ser definido como uma forma de transformar criatividade em resultado e, mais que isso, de pensar as relações em comunidade. É um novo olhar sobre o empreendedorismo, que pede multidisciplinaridade por parte do empreendedor. Este tem sido um dos setores que mais emprega jovens na atualidade, e com os mais altos salários.

O diretor da Incubadora Rio Criativo, Marcos André Carvalho, que hoje auxilia no desenvolvimento de 16 startups da área, afirma que, além da criatividade e ideias inovadoras, os empreendedores que desejam ter sucesso devem se atentar aos seguintes pontos:

  1. Colocar a ideia em prática

O primeiro passo para empreender na economia criativa é mensurar quão viável será o seu produto. Em seguida, definir os possíveis clientes e as formas de produção e distribuição. O empreendedor deve pensar como irá transformar sua ideia em prática. Materializar a proposta, sem deixar de lado um plano de sustentabilidade que explique como tudo será desenvolvido.

  1. Estudar formas de financiamento

O mercado de produção criativa é baseado principalmente na captação de dinheiro por meio de editais e leis de incentivo. Porém, os recursos podem durar pouco e não permitirem que o empreendedor desenvolva planejamentos estratégicos de médio e longo prazo. Por isso, o melhor é trabalhar na linha de microcrédito também.

  1. Trocar experiências

Uma startup criativa precisa cultivar a comunicação com outras empresas, devido à quantidade de áreas que o segmento apresenta. A troca de experiências é muito enriquecedora e ajuda na hora de solucionar os problemas.

Quando se trata de economia criativa, o trabalho deve ser encarado de forma totalmente diferente do que acontece nas empresas tradicionais. O segredo é acreditar que sua ideia pode ser interessante para outras pessoas. O objetivo agora não é mais quantas horas serão trabalhadas, mas sim o quanto se produz enquanto trabalha.

 


Artigos relacionados

Galgar sonhos: Aluno explica como o IPOG ajudou em sua mudança de carreira Respirar, pensar, repensar, decidir e executar a ação de abrir mão de quase metade do curso e iniciar outro para realizar um sonho. Para vários estudantes, isso pode ser uma tarefa impossível, mas para Victor Salatiel Cintra a escolha mudou o rumo da sua vida ...
Qual a relação entre empregabilidade e Metodologia Ativa? Em outro texto do nosso Blog IPOG explicamos a relação entre Metodologia Ativa e Nativos Digitais. Considerando esse universo de novas Metodologias de Aprendizagem, como elas podem te beneficiar em relação ao seu campo de trabalho? Pois então, o professor G...
Especialização traz qualificação necessária ao currículo, seja em cenário de crise ou de crescimento... Antes de falarmos sobre a especialização, você sabia que assim como vem acontecendo em outros segmentos, o de educação também tem sentido os reflexos da instabilidade econômica que o país enfrenta? Um exemplo bastante nítido é o do setor de pós-graduação que, ...

Sobre Assessoria de Comunicação

Equipe de produção de conteúdo.

Comentários